24.1 C
João Pessoa
segunda-feira, setembro 19, 2022
- Anúncio -spot_img
InícioPesquisas contra o CâncerEstudo alerta sobre a incidência de câncer no pâncreas

Estudo alerta sobre a incidência de câncer no pâncreas

Um estudo relacionou casos de cálculos biliares com câncer no pâncreas, um tipo de câncer agressivo e de diagnóstico tardio.

Por ser de difícil identificação, o câncer no pâncreas tem uma taxa de mortalidade alta, geralmente seu diagnóstico acontece quando a doença está em estágios finais. Em torno de 10% a 20% dos diagnósticos ocorrem nos estágios iniciais e podem ser curados através de procedimento cirúrgico.

A doença possui um comportamento mais agressivo que outros tipos de câncer. De acordo com dados publicados no portal do Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados são adenocarcinoma (que se manifesta no tecido glandular), e corresponde a 4% do número de óbitos provocados pela doença.

Quais são os riscos de desenvolver câncer no pâncreas

Conforme pesquisas médicas, existem vários riscos para o desenvolvimento desse tipo de câncer, podendo ser de origem hereditária ou não hereditária, mas existem outros que são relacionados com comportamentos e estilo de vida.

Entre os fatores de riscos sem relação com a hereditariedade, podemos destacar o tabagismo, problemas de obesidade, doenças crônicas como diabetes e pancreatite crônica. Além desses riscos descritos acima, existem outros como exposição às substâncias tóxicas como os solventes, por exemplo, e produtos agrotóxicos.

Quais são os riscos de desenvolver cálculos biliares

Os cálculos biliares ou pedras na vesícula, como são conhecidos, são pequenos cristais de rocha formados no interior da vesícula biliar. Essas pequenas pedras costumam ter um tamanho de um grão de areia. Existem pessoas que desenvolvem apenas uma, enquanto outras, podem desenvolver várias pedras. 

Os riscos de desenvolver cálculos biliares, assim como os riscos de desenvolver o câncer no pâncreas, tem relação com a genética e por comportamentos ligados ao estilo de vida, como o alto consumo de alimentos gordurosos, sedentarismo, obesidade, pressão alta, tabagismo, uso de anticoncepcionais e problemas hormonais. 

Entre os sintomas podemos citar dor abdominal do lado direito, que costuma irradiar pelas costas; febre, inchaço no abdômen; fezes com cor mais clara; náuseas e vômitos; dores logo após as refeições; e colangiopancreatografia por ressonância magnética.

Estudo associa cálculos biliares a câncer no pâncreas 

Uma pesquisa realizada nos arquivos médicos em um banco de dados de 18.700 pacientes diagnosticados com câncer de pâncreas, registrados entre os anos de 2008 e 2015 constatou que cerca de 4,7% das pessoas com esse tipo de câncer, tiveram anteriormente, um diagnóstico de cálculo biliar. E cerca de 1,6% foram submetidas a cirurgia para remoção da vesícula.

Ao analisar os dados de pessoas que não obtiveram o diagnóstico de câncer, cerca de 0,8% tinham o diagnóstico de cálculos biliares e, destas, 0,3% fizeram cirurgia para retirada do órgão.

Embora a incidência seja pequena, fica o alerta sobre uma investigação mais profunda, caso se descubra os cálculos biliares. Não esqueça, qualquer alteração ou desconforto gástrico procure atendimento médico.

- Advertisment -spot_img

MAIS POPULAR

Comentários