29.1 C
João Pessoa
terça-feira, setembro 20, 2022
- Anúncio -spot_img
InícioCampanhas contra o CâncerBrasil deve ter mais de 11 mil casos de câncer de boca...

Brasil deve ter mais de 11 mil casos de câncer de boca este ano, alerta INCA

Com mais de 11 mil casos estimados no Brasil para 2022, o câncer de boca é a 5ª doença mais comum entre os homens e a 13ª mais frequente entre todos os cânceres. Os dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) são um alerta e reforçam ainda mais a necessidade de ações de conscientização, como é o caso do Maio Vermelho, campanha que visa propagar informações sobre a prevenção e o diagnóstico do câncer bucal.

De acordo com a médica oncologista Lívia Porto, que integra o corpo clínico da Oncoradium – Centro Oncológico de Aracaju, o câncer de boca é identificado, na maior parte dos casos, a partir de um ferimento na boca que não cicatriza.

“Essa ferida ulcerada que, inicialmente não dói, mas que pode ou não ocorrer sangramento, principalmente, na hora da alimentação/mastigação, e que persiste por mais de duas semanas sem cicatrizar, pode ser um indício da doença”, afirmou.

De acordo com a médica, o primeiro passo para o diagnóstico é procurar um cirurgião dentista ou cirurgião de cabeça e pescoço, pois ambos são profissionais habilitados para identificar precocemente esse tipo de lesão maligna.

“O diagnóstico tardio se dá, muitas vezes, porque a lesão inicial aparenta ser uma ferida indolor que ocorre em indivíduos que não procuram o cirurgião dentista com a regularidade necessária para o diagnóstico precoce. Aliado a esse fator, está a não realização de campanhas ostensivas de alerta para esse tipo de câncer na mídia em geral”, destacou a Dra. Lívia Porto.

Tratamento

Quando o câncer é identificado na fase inicial, é possível que o primeiro tratamento seja cirurgia, que deve ser realizado por profissional treinado em fazer cirurgias oncológicas, que é o cirurgião de cabeça e pescoço. Os tratamentos de radioterapia e quimioterapia também podem ser necessários. Já a Imunoterapia está indicada em câncer de boca avançado, quando a cirurgia já não consegue retirar a lesão por completo ou quando já há metástase em outro órgão.

Segundo a médica oncologista, os tumores de boca e de todos os que surgem no segmento de cabeça e pescoço requerem um tratamento oncológico com uma equipe multidisciplinar, com profissionais médicos e de outras profissões da saúde, como cirurgião dentista, nutricionista, fonoaudiólogo, cirurgião de cabeça e pescoço, radio-oncologista, oncologista clínico, fisioterapeuta e psicólogo.

Fatores de risco e prevenção

De acordo com a médica Lívia Porto, os principais fatores de risco para a doença são o tabagismo e consumo excessivo de bebida alcoólica. “Esses são os principais fatores de risco. Isso acontece porque a ação da bebida alcoólica e dos agentes contidos no cigarro têm o potencial de alterar o DNA das células da mucosa da boca e iniciar o crescimento de um tumor pela proliferação anormal das células”, destacou.

Manter hábitos saudáveis é o primeiro passo para a prevenir a doença. Ir regularmente ao dentista e estar atento à incidência de machucados recorrentes e insistentes na boca, além de procurar ajuda médica é essencial.

“O primeiro passo para prevenção quanto ao câncer de boca é interromper o hábito de fumar e reduzir o consumo de bebida alcoólica, principalmente as bebidas de maior teor alcoólico, que são os destilados. O segundo hábito que pode ajudar no diagnóstico precoce é estar atento a qualquer lesão na boca que demore mais de duas semanas para cicatrizar ou até lesões que não são feridas propriamente ditas, mas aparecem e causam sensação de estranhamento na boca. Nesses casos, é fundamental buscar uma consulta com cirurgião dentista ou cirurgião de cabeça e pescoço ”, orientou a oncologista.

- Advertisment -spot_img

MAIS POPULAR

Comentários